Número total de visualizações de página

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A HISTÓRIA DE UMA FLOR

- As flores são muito belas !
Ouvi-a eu dizer; acenei com a cabeça.
- E eu uma péssima fotógrafa !
Se ela era péssima o que seria eu? Pensei com os meus botões.
- Quando era ainda muito jovem tive oportunidade de ir à Madeira. Passei o tempo a tentar "capturar" a beleza extraordinária das cores, a originalidade das formas.Queria guardar na Polaroid o brilho das gotas de água que se escapavam,por entre musgos, das levadas; os raios de prata que o sol fazia faiscar naquele imenso mar; a dança do azul do céu com o verde das águas, mas não consegui.
- E par além das flores? - Perguntei
- OH ! Tivemos imensa adrenalina...logo no primeiro dia.Subimos de autocarro para o Monte e perguntaram-nos se queríamos descer a ladeira numa côrsa, até ao Funchal. Claro que eu disse logo que sim; a minha amiga entrou hesitante,mas eu saltei lá para dentro. Quatro rapagões conduziram o cesto de vime por uma ladeira íngreme e descemos a alta velocidade. Ainda nem a meio, já eu me arrepiava pensando se a estrada teria transito nos dois sentidos...e sabia já que não voltaria mais a fazer aquela descida em toda a minha vida.Quando chegamos ao fim saí a correr, as lágrimas saltaram-me dos olhos, o coração queria saltar do peito,as pernas tremiam...é claro que disfarcei tudo isso fingindo tirar fotografias.Quando chegamos ao autocarro estava uma bela flor no banco em que eu viera sentada.
Nos dias seguintes enquanto as minhas amigas perdiam a cabeça nas lojas de bordados, e os mais velhos se perdiam nas provas de vinhos da Madeira, eu saía para os jardins e fotografava todas aquelas lindíssimas flores. Durante quinze dias quando entrávamos no autocarro havia uma nova flor no banco em que era suposto eu sentar-me.Ele estava sempre por perto, era o nosso guia.Eu usava a flor na cabeça, atrás da orelha ou no decote .
- Era ele ? - perguntei ao ver algumas fotos. Acenou com a cabeça,soltei um assobio.
- Ele costumava ter esse "efeito" nas mulheres.  - Disse ela,sorrindo.
- Guardou as flores?  -   Quis saber. Eu teria guardado.
- Guardei ?! Embalsei as flores. Durante anos acariciei aquelas flores,desperdicei beijos...
 Compreendi quando me mostrou os quadros de flores secas.
- Nunca mais se viram ?  - Perguntei
-Não. Durante muitos anos.
Depois, talvez porque visse alguma decepção no meu rosto acrescentou : Casamos!
Saltei da cadeira e quase bati as palmas. Uma história com um final feliz. Depois ouvi-a dizer:
- Agora ele partiu,mas não estou só !
Olhei-a e percebi. Não havia tristeza na sua voz , apenas saudade. Aquela mulher era linda apesar dos cabelos brancos, das rugas no rosto. Perdi a vergonha e abracei-a. Éramos duas mulheres,felizes cúmplices, amigas.

                                                                                  Anita The Blue Jeans

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

GREAT EXPECTATIONS

( I must advise that I had stolen this beautiful photo from other blog. My apologizes,but I'm a terrible photographer and my great desire was to capture the beauty of Douro Valley and share this with all  world!)  The great expectations ( I read the book from Charles Dickens when I was very young, so here I only stole the title...Oh,my God ! Today is all stolen...) that we are living here are : to have long and sunny days, warmer weather, long drinks with Port,(why not?). Time to rest and time to be with the family, friends and guests. But our vineyards are still brown, surrounded by dark green olive trees, the wind is still very cold, days are very short for everything we have to do.Ah! We still must say welcome to rain as it is necessary to replant the vineyards. Meanwhile, we already have some promises...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

PROMESSAS

As nossas vinhas ainda estão muito castanhas, acabamos agora a poda e ainda temos muito trabalho,mas também temos algumas promessas de dias grandes e quentes.Tempo para um passeio de bicicleta,uma caminhada por entre vinhedos coloridos, um passeio de barco, um pic-nic num dos nossos belos miradouros, bebidas frescas, um mergulho no rio e muito mais.

FRIENDS, WINE

GOOD TIME...I read this somewhere and it is really true. Do you remenber last December, arround the fireplace on the kitchen of CASA DO FUNDO DO POVO? We were cooking some easy tapas as crushed tuna with boiled egg with salt and pepper, carrots cooked  in just a "string" of olive oil, squid rings first cooked in water and after fried with a little  of flour ...always with salt and pepper . Talking about our dreams and projects,laughing and speaking seriously. OH ! I'm already missing you !